22 de out de 2007

Verde

- por Karol Felicio
Olho de folha, carrega a incoerência do mundo na pupila
Olho de folha de dia, olho de noite mais tarde
Bipolaridade
Quem és além da retina conflitante e inquieta?
Quem vês além de todos e tudo mais?
A mim... só a mim não creio tanto.
Ah, sim...
Olho de folha, sai da casca
Se mostra, rasga a couraça
Olho de folha que intriga, acende sempre quando apago e apaga quando me entrego. Afasta sempre enquanto me aperto.
Me ri, me chora, me ama, me torce, me passa, me aquece.
E esfria.
Sai do corpo pelo olho, me lava e toca a alma.
Mesmo que mal me lembre da cor dos teus olhos. Impossível é apagar o teu olhar.

2 comentários:

Nô disse...

Oi, Karolzinha! Vi seu e-mail no Yahoo e passei para dar um Oi :) Parabéns pelo blog! Bjs

Danny Falabella disse...

nada como um bom texto para finalizar meu dia corrido e insano. Karol, pra variar amei!