28 de mar de 2008

Ausente em mim

- por Karol Felicio

Sim. Andei meio ausente.

Mas não foi de você. Foi de mim.

Meio calada, para assentar o turbilhão de vozes que gritavam aqui.

Até perceber que essas vozes não se calam nunca, às vezes baixam o tom para que eu possa falar. Só então posso ouvi-las, mesmo que não as entenda.

Andei muito longe, muito fundo, dentro de mim.

Queria dar a luz às estrelas como Nietzsche, mas a lua me encantou e perdi o rumo no caminho.

Agora chora aqui dentro a voz da saudade e me espero presente em ti.

Se ainda estiver vago, volto a esquentar meu lugar com um abraço apertado, um sorriso estampado e mais algumas histórias para contar.

8 de mar de 2008

Resto

- por Karol Felicio

E se foi assim,
quando tudo era brilho, cor e a música era alta

Eu fiquei assim,
poeira e pó


Voltou mutilado, maltratado, manco
Um vaso mal colado,
Oferecendo o amor que não pudera dar

Mas agora o amor é resto, é meio, é quase
e não mais aceito
ou resto de mim ele tambem fará
.