10 de nov de 2007

Tentativa da poesia

-por Lívia Francez

Não sou mais aquela garota que arrastaria um bonde por você
Não quero ser aquela a quem você recorre nas horas de desespero
Tudo aquilo que eu tenho pra mostrar eu guardo
Guardo para aquele que vai saber fazer bom proveito de todo esse sentimento represado
Não mais menina, não mais a tola
Agora mais fiel a mim mesma
Mas ainda mantendo a inocência
(Afinal sou a infanto adulta mais madura que conheço)
Eu me criei nos tropeços
Eu conheço as estradas tortuosas
Eu espero
Eu calculo
Eu me jogo
Mas não deito
Não mais na sua cama
Sem a antiga ilusão
Partindo rumo a um novo caminho
Abrindo picadas à foice
Desbravando o solo do meu sentimento
Não preciso de mais nada que venha de você
Preciso descobrir o que resta em mim.

Um comentário:

p edro disse...

lindo, muito mais pela sonoridade dos versos, da musicalidade e da fluência deles.
esses versos até vontade de escrever deram!