4 de nov de 2007

Dose de saudade

- por Karol Felicio
E essa dose, e esse frio, e esse jazz que quase machuca
E meu coração de pedra já está em pedregulhos
E a saudade vem, e a saudade dói
Mas a saudade é boa quando vem, mas sabe que a volta é logo
Porque a saudade é cama fria e mesa posta
esperando que a garrafa vire antes que o café esfrie
É um vazio que se vê o fundo
É o frio que sobe a espinha e um calor que dá no estômago
Mas no fundo a saudade é leve
O que dói é breve
O que fica é forte
A demora é longa
Então volta logo
Que a saudade é pressa.

3 comentários:

p edro disse...

"não te negues, minha sede é clara." (Caio Fernando Abreu)

Manu disse...

O que sai de você em algum momento cabe em cada um de nós. Toda vez que leio um texto seu lembro um pouco de mim...

manu disse...

... mesmo aqueles que falam sobre o meu avesso...