22 de jul de 2008

Mais uma noite... à toa

-por Karol Felicio

A noite cai
Escura, gelada
Os 12º graus de sempre

O chuveiro quente
O corpo ferve
Aromas, vapor

Banheiro escuro
À luz de velas
Os olhos fecham
A mente voa
A boca pede
Mais uma taça de vinho à toa

Tinto
Vermelho da boca
O sangue esquenta
O frio da espinha sobe
O da barriga desce
E transborda

Uma onda de calor toma
Todo o corpo, todo o copo
E a garrafa seca
E molha, não nega

Lá longe a música
Toca, e toca
Um Chico à toa

A poesia voa
Não se prende no papel
Acalma a mente
Liberta a alma
De uma eterna espera
De não se sabe o quê

E o corpo estira
E a cama abraça
E o sono chega
E ela apaga

Mais uma noite boa
Uma noite à toa
Que acaba.

9 comentários:

Janine disse...

Nossa, adorei esse texto.

danny falabella disse...

pra variar maravilhoso..a gente até consegue sentir...aiaia

Juliana Caribé disse...

Era só mais uma noite. Como tantas outras. Sozinha em casa, um blues tocando no rádio, sobre a mesa uma taça de vinho tinto. Seco. Como a garaganta dela. Como ela. Engole o vinho esperando que ele a aqueça por dentro. Não funciona. Abre o chuveiro. Quem sabe a água quente? Não adianta. Enfia-se embaixo dos edredons. Agora sim o frio passa, ela pensa. Mas suas mãos continuam a tremer. Não sabe se pelo frio ou pela falta. Ou pela dor.
Presa, encolhida, tentando morrer pra nascer de novo. Outra. Pra que as noites sejam, mas não sejam tão sós.

Obrigada pela visita. Desculpe a demora em responder, andei por aí, com o violão na mão...

Beijos.

Antonio Sávio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Antonio Sávio disse...

Perfeito poema. Mais uma vez supreendente pelo modo simples que escreve.

marcos assis disse...

sim sim!!

Celine disse...

E ela se ama, á toa, na cama.
Muuito bom!!

Obrigada pela visita tbm. ;)
Eu que estou fascinada pelos seus poemas. Lindos todos.
beijos

Andrea Lima disse...

Amiga...lindo, estou adorando passear no seu blog. Esta de parabens!!!

Jeovanna Vieira disse...

Eu sei disso ai que voce trata.
Do tato e da falta de trato?
Sei bem,
à toa, você não está, e nem eu também.