28 de set de 2007

Da série "Mulheres que fazem a nossa cabeça": Céu

-Por Karol Felicio e Lívia Francez

Não, ela não é parecida com essas novas cantoras que bombam nas FMs, ela não imita ninguém, ela não vai nutrir o desejo da mídia pelo comercial, vendável ou óbvio. Ela é sangue novo, é ar fresco, é mais uma brisa que sopra nessa música brasileira que tem estado bem insossa. Ela é a Céu, horizonte de quem não quer mais ouvir sons pré-fabricados.

Ela caiu nos nossos ouvidos em meados de 2006 e foi um tapa. Daqueles que tiram a gente do lugar e provocam questionamento. Quem é essa pessoa? Que voz é essa? Estava super precisando disso!

O cd homônimo foi lançado em 2005 e já chegou sob o crivo do produtor musical Beto Villares, ou seja, já é bom de partida. Variadas referências fizeram o som da Céu uma profusão de estilos. A trajetória das músicas vai da raiz africana, batidas de tambor, atabaques, samba à levadas eletrônicas, reggae, dub, jazz e afrobeat. Raiz e modernidade. Além ser co-autora de 12 músicas das 15 músicas traz ainda nova roupagem à canções já consagradas como “Concret Jungle” (Bob Marley), uma releitura excepcional. Enfim, brasilidade absoluta.

Uma linha bem experimental, que à primeira ouvida (a não ser pela voz forte, doce e segura da Céu) pode causar estranheza. Mas logo na primeira música ela faz cair por terra qualquer pé atrás que o ouvinte (sortudo) poderia ter. Mensagem, meus caros. Agrada em cheio às mulheres, já que é tudo o que elas gostariam de dizer. E groove, que possibilita aos quadris se soltarem, a ginga, funciona na pista.

Tem uma banda formidável, gente nova e com vontade, originalidade e técnica pra mandar um som único, singular, moderno. Dá pra notar no decorrer do álbum que eles têm espaço pra mostrar a que vieram. Muitas vinhetas instrumentais, músicas inteiras em que fica claro que há uma banda de responsa por trás da bela voz.

No palco ela emerge toda a sensualidade de um clima introspectivo, é intensa, provocante, tem um charme desencanado e além de tudo é bonita. Enfim, abre a boca, solta o quadril e hipnotiza.

O céu não é o limite pra ela. Musa, alívio e alegria. Sacode toda a caretice e bota pra dançar!

Quer conferir "a voz "? Tem esse vídeo aqui do programa Ensaio, da Cultura!

Um comentário:

Lucyelane disse...

Tão fascinante quanto à voz da Céu é a da carioca Isabela Taviani, o som dela é agressivo e contagiante. É ouvir e se encantar... O que ela diz em suas letras combina em tudo com as idéias postadas nesse blog. Com certeza irão se amarrar.
Bjos