7 de out de 2008

Descivilização

- por Karol Felicio

Onde confiança não é mais uma constante
quiçá moeda de troca

E a palavra de um homem não vale mais que escambo
com meia dúzia de quiabos

Quero lhe converter de valor em letras
e padecer em poucas linhas, lauda, poesia

E me deitar em tantas camas quentes
até que a sua esfrie, que nem me lembre

Quero mergulhar em tantas quedas d’água
que meu corpo limpe, até que me levante

E correr quantas léguas que minha alma acalme
Estire.

À sombra de uma copa larga, pingando mel de uma fruta farta,
que minha boca adoce.

E eu descanse.

15 comentários:

Celine disse...

Voltou a inspiração, nega!
E cada vez melhor, cada vez mais intenso. Cada vez mais eu adoro.
É perfeito.

Me comove.

Beijosss

Beauvoir disse...

"Onde confiança não é mais uma constante".
Nossa, de arrepíar! Adorei.
Beijos

Diz ela disse...

Cada vez melhor, cada vez mais entedimento. É empírico. Tão curto e discorre sobre tantas coisas suas, minhas, tantas coisas das pessoas que sentem.

Descansemos nós!

Parabéns!

Posta aquele por favor! Todo mundo merece ler...
Lindo demais!

Éverton Vidal disse...

Adorei esse começo:

Onde confiança não é mais uma constante
quiçá moeda de troca


Onde confiança e palavra sao tudo barganha... O descanso.

Descanso bom é assim, acontece quando tudo é antagônico.

Bj. Inté.

Felipe Malta disse...

Sempre gosto dos seus escritos!

Descansa
Mas quando levantar
Canta
Música qualquer
Canto bonito de mulher.
Quando a moeda de troca for o respeito.
Alegria volta a morar no peito.
Seu.

Eu por aqui envolvido em outras atividades criativas, feliz.
Talvez por conta de um ciúme travestido de fadíga as palavras me pediram umas férias. Dei.
Sinto falta delas também.

Celine disse...

Vim ler mais um pouco.

=D

adoro!!!
beijooos, florzinha

Ricardo Soares disse...

sexista ou não, feminista ou não, mais um blog ou não... isso não importa ... importa que gostei do seu espaço aqui e da sua visita ao meu... volte sempre...bjs

Juliana disse...

já tá mais do que na hora
de desconstruir e refragmentar
;)

Mayara disse...

"(...)À sombra de uma copa larga, pingando mel de uma fruta farta,
que minha boca adoce.

E eu descanse."


clap clap pra você menina!


se gostou pode ficar a vontade =D

bju queriúda!

Celine disse...

Lindona!!

Sua presença em meu Blog é puro carinho.

E mais uma vez eu estou aqui e nao resisto em me deliciar com seu texto.
Cada lida uma imagem melhor.

beijoss

primaverasdesetembro disse...

que lindoteu blog.adorei

flores

Larissa Santiago disse...

saudade daki!!!!!
e que venham palavras de pagu, pra "atordoar" nossoss pensamentos!!!

beijooo

Aline Christall disse...

Que descanse-mons então.
Adorei o poe-tar daqui...

Deitar
Mergulhar
Correr
Sombra
Doce

Bjim.

Douglas disse...

Cada vez melhores. Parabéns!

Que intensidade hein!!! Ê paixão!

Beijão

Elisa disse...

uai, karol. você é uma poeta.