10 de set de 2008

Mantenha




- por Karol Felicio

Não se aproxime
Eu tenho espinhos
E acredite
Eles te sangram
Porque meus ressentimentos são mil flechas afiadas
Lançadas
E cada rosa que eu encosto despetala
E cada peito em que me deito dilacera

Eu tenho pressa em juntar meus cacos
Por isso corro, eu atropelo
Sigo caminho, choro os vestígios
Mas não olho para trás

Talvez assim, correndo tanto
O vento bata, e a dor abrande
Talvez por ter-me ofuscado os olhos
Eu não te enxergue nem a ninguém

Levam-me os pés que correm tanto
Nas pedras mil desse caminho
E vou seguindo assim sozinho
Desencantando uns outros tantos.

19 comentários:

Celine disse...

Que lindo! Que lindo!
Fez pra mim e não sabe.
beijos
=*

Larissa Santiago disse...

mas pra saber tem que chegar perto, não??

;)

avessodoavesso disse...

sempre textos belos
...
blz!

vlw pela visita
>>

Felipe Malta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Felipe Malta disse...

No parar de correr tanto.
A alma acalma.
Encontra seu canto.

Muito bom Karol.

Jeovanna Vieira disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Jeovanna Vieira disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Jeovanna Vieira disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Jeovanna Vieira disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Jeovanna Vieira disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Jeovanna Vieira disse...

"E cada rosa que eu encosto despetala
E cada peito em que me deito dilacera"


Há alguma coisa de mim hoje.
Muito de mim antes,
e terá menos, amanhã.


Bom tê-la por perto, quero ainda mais!

Jeovanna Vieira disse...

"E cada rosa que eu encosto despetala
E cada peito em que me deito dilacera"


Há alguma coisa de mim hoje.
Muito de mim antes,
e terá menos, amanhã.


Bom tê-la por perto, quero ainda mais!

Éverton Vidal disse...

É aquele poema preciso. Necessário. Fiquei boquiaberto depois de lê-lo e tinha que comentar. E o nome Mantenha já diz tudo o que é, e o que nao é.

J. Caribé disse...

As pessoas não são sempre flor.

Beijos, Karol.

Beauvoir disse...

Nossa, teu blog me inspira. A Karol tem uma sensibilidade tocante, inacreditável.
Parece que ela escreve para mim, parece que ela me escreve.
Será que posso colocá-lo nos meus favoritos?

Celine disse...

Lindaaa.
cadê vc? suma nao.
beijos

Diz ela disse...

Nao me canso de reler!

primaverasdesetembro disse...

égua, que flor urticante!

que.!adorei

flores.

Alan disse...

Desencantar, encantar... não é a mesma coisa?!? Ainda bem!;) Demais gata! Bj