28 de abr de 2009

Meu Pedaço

Google images

- por Karol Felicio

É tão afinado que não sei se te sigo ou me deixo fluir
É tão perfeitinho que não sei se existe ou fui eu quem pari
É tão combinado que eu já não sei quando é moda
- como “bolsa e sapato” –
Ou se hoje eu queria andar nu e descalço para me sentir livre,
como quando nasci
- mas deve fazer frio assim -

É tão óbvio, certeiro, fácil
É pré-moldado, sob medida, encomendado
É tão inacreditável
Que eu fico a me perguntar
Será que o nosso amor existe
ou foi só uma farsa que eu consenti?

É que quando acordo eu não sei se sonhei ou vivi
É que quando juro eu já não sei se menti
E eu já não sei se fico para o parto ou prefiro partir

É que eu tinha um buraco no peito
Era gelado e doía
- que tilintava -
Você veio ser o pedaço que faltava
Eu aceitei
- nada custava –
Agora já não sei se existo se não for assim

7 comentários:

Beauvoir disse...

Meu senti assim durante dois anos da minha vida. Só que o tal pedaço que me completava acabou enferrujando e eu oxidei junto com ele...
Agora, é recomeçar. Mas como? Como?

Celine Ramos disse...

Meu Deus...
é preciso ter coração forte pra ler esse blog.
Porque vai tao no fundo que dói. E é uma dor que eu quero mais..
demorei pra vim aqui dessa vez..mas estou com o coração acelerado como sempre...
é incrivel como vc escreve (pra mim) e como vc acerta o que vivo.

Beijos, flor

Felipe Malta disse...

Salve salve!

Larissa Santiago disse...

bom ler isso aqui.
muito bom.

Celine Ramos disse...

Tem post Nordeste Ajuda Nordeste no MOblog. Passa lá, flor.
beeijos

Anônimo disse...

Lindooo!

The Ice Girl. disse...

É legal aki...
Gostei!!!