27 de nov de 2008

Desvios

- por Karol Felicio

O vicio do amor
A ferida que marca
A marca que dói
A dor que não passa

Dizem que amar novamente sara
E aí a dor pára
E aí incha o peito
E aí mostra a cara

Mas se vem novo amor
É perigo dobrado
Latejar ritmado
Num coração ocupado
- Não lhe dê atenção! -
Aquilo fala baixinho
Aquilo sofre calado

É sorrir ou pesar
É pagar para ver
Ou prazer pra pagar
- caro -
É saber resultado
É insistir em errar
É pegar ou largar

Todo mundo tem um vício
Um fantasma
Um resquício
Uma dor que incomoda
Um machucado que coça
Que é melhor abafar
Porque se começa
Não consegue parar

Mas todo mundo tem balança
Para saber o que pesa
Para saber a que reza
A mente onde vaga
O que o corpo suporta
O que lhe vale a vida
O que lhe conforta a alma

Onde é que lhe toca
Nessa estrada já torta
Mil desvios de rota
O caminho a seguir

A seguir ou voltar.

13 comentários:

Celine disse...

Sempre perfeita. Perfeito. Pra mim. Pro que sinto ou admiro sentir.
beijos

Beauvoir disse...

Não sabes o quanto espero por teus posts! Eles me fascinam tanto e o mais intrigante é que parece que os escreve para mim.

Ah, muito obrigada!
"Todo mundo tem um vício
Um fantasma
Um resquício
Uma dor que incomoda
Um machucado que coça
Que é melhor abafar
Porque se começa
Não consegue parar"

Eu tenho muitos!
Beijos

Leandro disse...

Ainda nessas condições, vc consegue produzir textos maravilhosos... Lindo.

Fred Di Giacomo disse...

Oi, Karol, tudo bem?
Estou com um novo blog coletivo agora: http://clube-de-ideias.blogspot.com/

Não quer colaborar com poemas?
Beijos

Éverton Vidal disse...

Isso. E é melhor a gente aprender a gostar dos desvios. Será que pode?
É o jeito, porque ostra feliz nao faz pérola rs

bj!

Diz ela disse...

Se eu te perguntasse, você responderia o que pra mim?
Karol, siga.

Até quinta.
Amo!

JÊ!

Diz ela disse...

Se eu te perguntasse, você responderia o que pra mim?
Karol, siga.

Até quinta.
Amo!

JÊ!

Patarata disse...

O caminho se faz ainda sem se mover
Mas, é melhor que e mova que é pra não perder a sensibilidade, e se a seguir, ou se a voltar...
O importante é que sinta e que no sentir também se sinta.

Bjin

Larissa Santiago disse...

td mundo ttem um vícioo....
(que droga!!!!!)

Insolente disse...

meme no blog =)

primaverasdesetembro disse...

ás vezes são vários.e voltar é ou não uma escolha difícil que essa balança teima em não se ajustar?

tema clichê, texto nada clichê.adooro =)

obrigada, pela visita K.

flores.

Cris disse...

Bom bom bom demais!

Rodrigo disse...

Surpreso com suas poesias.
Surpresa boa.
Abraço