16 de dez de 2007

Olhares

- por Karol Felicio

Olhares de poucos segundos

Como o lateral, da garota dos drinks, olhos de pecado. Contornados de tinta negra, segundos de sedução.

Ou o casual, frontal, claro e doce. Resgate de infância, segundos maternais.

Os segundos mais cruéis no olhar do desprezo, seco, frio, duro. Olhos de dedo em riste, segundos antes da despedida.

Olhos d’água, do amor incondicional, necessitado, eterno, em desespero, à espera. Doloridos segundos em que não pude retribuir.

Olhos para o fundo do poço, para o fim que não tem, para portas fechadas e a luz queimada no fim do túnel. Olhar gelado de medo. Segundos pós-trauma.

Nos segundos em que se perde do tempo e de tudo mais que havia em volta.

A pausa do cérebro para sentir a porrada na boca do estômago, o elevador – 1000m/s- do pé ao cabelo. Segundos de prazer ou dor.

Todo o tempo do mundo em breves segundos por intensos olhares.

5 comentários:

p edro disse...

essa leitura dos olhares é muito particular, sutil, íntima. Gostei muito!
Feliz natal, arroz com lentilha, romã e 7 ondas pra vocês.

Juliana disse...

Olhei para dentro da minha pupila através desse texto.

; )

beijin

Fred Di Giacomo disse...

Oi, Karol, aqui pe o Fred do Curso Abril. Bem legal o blog e as poesias. Quando tiver um tempo entra no meu: memoriasdeumperdedor.blogspot.com
beijo

Flora D'alma disse...

Um coment�rio secreto de uma f� em potencial: me senti mais mulher, e vista em meu �ntimo por uma mulher. vc vai me descobrir. Ainda te falo.

Anônimo disse...

intuition fundraising hesitate graphs green alliteration baid blogstreet fofuekz frustration laurel
semelokertes marchimundui